Gestão

Influência da rolha na qualidade do vinho é desvendada pelo melhor sommelier do Brasil

Desvende a influência da rolha na qualidade do vinho

A atenção dada ao vinho no momento da compra fica restrita ao preço, ao tipo de uva e à safra? Se você respondeu sim, já está na hora de ampliar o horizonte e passar a observar a rolha como uma peça-chave para garantir a qualidade do vinho servido em seu restaurante. De três maneiras, pelo menos, a rolha afeta a bebida, segundo Diego Arrebola, vencedor da edição 2016 do concurso de melhor sommelier do Brasil, promovido pela ABS (Associação Brasileira de Sommeliers).

“Ela influencia na qualidade da vedação, garantindo que o vinho não oxidará precocemente, influencia no tempo de guarda, pois as inferiores duram menos tempo e, em última análise, influencia o próprio perfil organoléptico, já que rolhas de baixa qualidade ou contaminadas podem transferir aromas desagradáveis ou mesmo contaminar com TCA, substância que confere um aroma que lembra mofo e papelão molhado”, afirma o especialista. Acompanhe, a seguir, três dúvidas esclarecidas pelo especialista certificado pela ASI (Association de la Sommellerie Internationale).

As melhores rolhas são obtidas a partir da cortiça retirada da casca de sobreiro e feitas sem emendas ou uso de aglomerado

Como deve ser feita a verificação da rolha?

Antes da sua utilização, a rolha é verificada para buscar imperfeições ou falhas, afinal, estamos falando de um pedaço de casca de árvore. São feitas também análises químicas para garantir a ausência de substâncias potencialmente contaminantes. Após o uso, antes de abrir o vinho, é possível verificar em sua parte superior se não há sinais de vazamento, que poderiam indicar que a bebida oxidou, se a rolha não está um pouco para fora da garrafa, o que poderia indicar que o vinho foi submetido a temperaturas muito altas, ou ainda, removendo toda a cápsula da garrafa, verificar nas suas laterais se não há sinais de vazamento eminente. Depois da retirada da rolha, é importante verificar se a parte que fica em contato com o líquido está bem úmida, pois senão estiver é um sinal que o vinho não foi armazenado deitado, o que pode ter comprometido sua qualidade.

 Qual material é mais indicado para produção?

Embora a tecnologia na produção de rolhas sintéticas tenha se aperfeiçoado muito nos últimos anos, os melhores resultados ainda são obtidos com a cortiça retirada da casca de uma espécie de carvalho, o sobreiro, e feitas sem emendas ou uso de aglomerado.

Tempo interfere na rolha?

Em boas rolhas naturais, caso o vinho seja armazenado deitado, o líquido avança, em média, um milímetro por ano. Assim, uma rolha de 3 cm, um tamanho médio comum, duraria, no máximo, 30 anos. Em geral, vinhos destinados a mais longa guarda têm rolhas mais longas, enquanto que os para consumo rápido utilizam as menores, de aglomerado ou mesmo sintéticas.

1