Tendências

Especialistas revelam segredos para abrir um e-commerce de vinhos

Especialistas revelam segredos para abrir um e-commerce de vinhos

Embora o atendimento presencial ainda seja considerado uma das principais vantagens do varejo físico, a internet tem oferecido diversos benefícios ao consumidor e, especialmente, aos empreendedores. Ainda que em lojas físicas, o empreendedor possa se beneficiar da visibilidade dos produtos e conhecer pessoalmente seu cliente, além de oferecer rótulos semelhantes a aquele procurado pelo consumidor, diante da gôndola o cliente tem poucos parâmetros para se orientar além das recomendações dos funcionários.

Na opinião do sócio da Evino, Ari Gorenstein, no comércio eletrônico é possível oferecer uma proximidade com o cliente que facilita a sua escolha. “Apontamos critérios e apresentamos informações técnicas como a melhor ocasião para degustar um tipo de vinho. Além da conveniência e praticidade da internet, na qual você compra de onde estiver e ainda recebe em casa”.

Porém, mais do colocar o site no ar, são necessárias algumas ações para fazer com que a comercialização de vinhos dê certo. Gorenstein e Luis Martini, da Wine.com.br, comentam três cuidados que todo empreendedor precisa ter. Confira:

  1. Ouça o que seu cliente quer. Para identificar – e entregar – aquilo que o consumidor final do seu produto procura é preciso ter uma equipe preparada para entender as necessidades e preferências a fim de entregar os melhores rótulos e a melhor experiência de acordo com o perfil de cada cliente, de forma personalizada.
  2. Presta atenção na logística. Como o eletrônico pode estender sua área de atuação com mais facilidade é preciso um cuidadoso planejamento para suprir e superar expectativas dos clientes.
  3. Invista em parcerias. “Dificilmente você vai conseguir realizar tudo por conta própria tendo que depender de fornecedores ou terceiros. Por isso, é fundamental ter rigor para expor tudo aquilo que você busca, ao oferecer um produto ou serviço ao consumidor, além de um constante alinhamento com esses parceiros”, afirma Gorenstein.