Cases

Melhor sommelier do Brasil revela como a experiência é determinante para o sucesso na profissão

O melhor do País pela 2ª vez revela o essencial para ser mais competitivo ano a ano

Engana-se quem pensa que por ter sido eleito pela segunda vez o melhor sommelier do Brasil, Diego Arrebola está satisfeito. Ele quer mais. Apesar de ter acabado de vencer o Concurso Brasileiro de Sommeliers, realizado em 6 de março, em São Paulo (SP) pela ABS (Associação Brasileira de Sommeliers) ele já está de malas prontas para Mendoza, na Argentina, de olho no campeonato mundial de sommeliers que será realizado em abril e pode lhe render o primeiro título internacional.

Organizado pela ASI (Association de la Sommelerie Internationale), instituição pela qual ele é o único brasileiro certificado o campeonato é uma referência mundial. Embora Arrebola não se considere um dos favoritos, saber que há um brasileiro competindo certamente fará sua torcida crescer.

“O preparo para os concursos é semelhante à rotina dos sommeliers: manter-se atualizado, estudando e degustando constantemente, além de se comunicar com o público, sem tecnicismos”

Ansioso e com a sensação de “falta de tempo”, Arrebola afirma que gostaria de ter estudado e se preparado mais, embora esteja confiante para fazer seu melhor, a fim de obter uma boa classificação para a sommellerie brasileira. A preparação envolve treinamentos de degustação às cegas, serviço e destilados. A maior carga horária, no entanto, é com estudos, de acordo com o consultor. “Como os vinhos e bebidas compõem um universo muito amplo de conhecimento há muito o que estudar, e qualquer coisa pode cair na prova escrita do concurso, ” diz.

Trajetória de sucesso

Sua primeira vitória foi em 2012. Na ocasião, ele teve menos de uma hora para degustar três vinhos às cegas e identificar produtores e safras, provar cinco líquidos em taças pretas e dizer o que eram, decantar um vinho antigo cheio de sedimentos, realizar serviço de espumante, encontrar erros em uma carta de vinhos, indicar a origem de uvas Pecorino, explicar o que é um vinho laranja e realizar uma rodada de harmonização.

De lá para cá, o universo do vinho mudou, assim como o sommelier. “Hoje conheço mais facetas desse mercado, e entendo melhor as correlações entre diferentes setores e produtos”. Parte disso é porque trabalhou em funções que ainda não havia desempenhado anteriormente e com novas responsabilidades. Arrebola conta que frequentemente busca mais informações e conhecimento participando de cursos e degustações. “A posição de sommelier no restaurante é única, pois com a escolha certa podemos transformar uma simples refeição em um momento especial.”

Sem dedicação constante, qualquer profissão pode ser apenas um título para colocar em um curriculum

1