Carreira

Qual é o decanter correto para cada vinho e ocasião?

Qual é o decanter correto para cada vinho e ocasião?

Ao longo das prazerosas degustações que dão mais sabor e experiência à sua profissão, você já deve ter se deparado com um decanter de diferentes formatos. No entanto, muito do dimensionamento dado a esse versátil produto é meramente estético. Afinal, o tipo de decanter usado em uma degustação concentra possibilidades variadas e com objetivos igualmente distintos.

E para você fazer bom uso dessa milenar peça que vem acompanhando a evolução do vinho, nós reunimos neste artigo tudo o que você precisa saber a respeito do decanter correto para potencializar os seus objetivos. Acompanhe!

A história do decanter

Vem da Roma Antiga os registros iniciais a respeito do decanter. À época, os sabores da bebida eram previamente depositados nessa peça em vidro — inventividade também creditada aos romanos — com o propósito de servi-la, exclusivamente.

Até então, o manejo era feito em recipientes de barro e, após a queda do Império Romano, outros materiais foram testados para obter o mesmo efeito, indo do bronze ao reluzente ouro.

Ao longo dos séculos foram conferidos formatos diversos ao decanter, tendo chegado às suas definitivas dimensões nas mãos dos britânicos, que levaram a sério a degustação de vinhos.

Usos para o decanter

Com a história devidamente registrada, ficava em aberto, ainda, as possibilidades de uso para o decanter que se estendiam à mera serventia de oferecer a bebida aos convidados.

Por isso, à medida que eram testados novos modelos de decanter, também foram descobertas finalidades diversas no uso desse fundamental item.

“Se for para decantar o vinho (quando o vinho é envelhecido, com depósito) e o objetivo é separar os sedimentos do líquido, usa-se um decanter menor e com base de menor diâmetro, de capacidade próxima ao tamanho da garrafa. Aqui, deve-se evitar o contato do ar com o vinho, com o objetivo de se evitar a oxidação”, explica Arthur Azevedo, presidente da ABS-SP (Associação Brasileira de Sommeliers-São Paulo).

Portanto, o uso do decanter tem sido considerado mais para esse objetivo, pois é funcional no propósito de separar os resíduos naturais do vinho e, ainda, ajudam a deixar os vinhos mais persistentes e concentrados.

Para isso, recomenda-se que o processo comece de dois a três dias antes do seu consumo, mantendo a garrafa em posição vertical para concentrar os resíduos no fundo do recipiente.

Em seguida, é importante despejar a bebida de modo que, ao chegar próximo do fim, você perceba apenas poucos sedimentos surgirem no gargalo. No entanto, isso não é tudo. O presidente da ABS também aponta outra qualidade essencial atribuída ao decanter:

“Se o objetivo for aerar o vinho, devemos escolher um decanter de base larga, para aumentar a superfície de aeração, e com capacidade superior ao tamanho da garrafa​ para que o ar fique sempre em contato com o vinho, oxigenando-o”, destaca.

Ou seja: enquanto o decanter pode ser utilizado com o propósito de enriquecer a experiência degustativa com vinhos envelhecidos, os rótulos mais populares — aqueles para consumo imediato — podem se beneficiar da peça para acelerar as reações decorrentes da bebida.

Explore a beleza e objetivos do seu decanter

Dessa maneira, seja o decanter utilizado de vidro ou cristal, é importante se atentar às finalidades básicas desse fundamental item. O design da peça é meramente ilustrativo, podendo trazer um aspecto visual interessante à degustação.

Mas, no que diz respeito ao objetivo do decanter, convém se atentar às dicas de Arthur Azevedo!

E, caso você queira complementar os conhecimentos com base no que vimos neste artigo, visando uma compreensão mais ampla a respeito do vinho, que tal também entender como a rotina e paladar dos brasileiros influenciam a produção das vinícolas?