Gestão

Todos os segredos do vinho do Porto

Descubra todos os segredos do Vinho do Porto e conheça algumas dicas de como harmoniza-lo e servi-lo em seu restaurante!

Quando se fala em beber um bom vinho, o Vinho do Porto é um dos primeiros que surgem na mente das pessoas. E isso não acontece à toa. De acordo com o sommellier Diego Arrebola, “trata-se de um produto de alta qualidade, complexo e com bom potencial de guarda, além de ser um dos vinhos mais tradicionais no mercado moderno“.

No entanto, o Porto vai muito além do que costumamos conhecer. Continue lendo o nosso artigo e descubra todos os segredos do Vinho do Porto!

Os segredos do Vinho do Porto

Além de ser um produto de alta qualidade, o Vinho do Porto conta com algumas características únicas.

Seu teor alcoólico é mais elevado (cerca de 22%) e, apesar de ser conhecido como um vinho adocicado, ele apresenta variações que vão do muito doce até o extra-seco. É o tempo e a forma do processo de fermentação determinado pelo fabricante que determina o grau de doçura do produto.

Diego Arrebola conta que o Vinho do Porto foi o primeiro com a sua região demarcada e regulamentada ainda em 1756. “O Porto sempre foi um produto muito apreciado em todos os mercados em que se fez presente“, diz o sommellier.

Além disso, a bebida começou a ganhar fama ao ser servida como um vinho de sobremesa, tornando-se uma alternativa aos vinhos tradicionais e ganhando espaço em jantares e ocasiões especiais.

Os tipos de Vinhos do Porto

Os Vinhos do Porto podem ser divididos em duas grandes categorias: os que são envelhecidos em barris de madeira e os que são envelhecidos em garrafa.

Os vinhos apresentam subdivisões distintas mesmo quando são utilizadas as mesmas uvas. Isso acontece, pois, a seleção, vinificação e armazenamento de cada vinho é realizada de forma diferente. Sendo assim, o resultado são produtos com sabores e características únicas.

Porto Ruby

O Porto Ruby é um dos vinhos mais jovens, com cerca de 3 e 5 anos. Sua coloração é profunda e bem definida com aroma intenso. São vinhos feitos com misturas de uvas frescas de diferentes colheitas e safras.

O Porto Ruby harmoniza muito com queijos, chocolate escuro e frutas silvestres. Além disso, é um excelente complemento após o jantar.

Porto Tawny

Menos encorpado e com cores mais suaves em relação ao Ruby. O Porto Tawny é envelhecido em barris de madeiras e é adocicado, tendo um sabor que remete a nozes.

Harmoniza muito bem com queijos mais fortes, com o cheddar, torta de maçã, chocolates e frutas secas.

Porto Reserva

O Porto Reserva é uma categoria que abrange as versões de maior qualidade do Tawny e Ruby. São rótulos de safras cuidadosamente selecionadas que resultam em sabores de maiores complexidades e estruturas.

Porto Branco

Bastante diferente dos demais por sua cor, doçura e tempo de envelhecimento. O Porto Branco é produzido com castas brancas que são envelhecidas por 2 ou 3 anos. É possível encontrar variações da bebida que vão desde o doce ao seco.

É comum oferecer um Porto Branco no início das refeições e os envelhecidos com a sobremesa, justamente por apresentarem sabores mais intensos e encorpados.

Porto Vintage

Considerado como um dos melhores Vinhos do Porto, ele é produzido por uma única colheita especial. Vinho encorpado, de coloração forte e excelente qualidade. Ótimo para acompanhar queijos, nozes, amêndoas e chocolates.

Late Bottled Vintage

Também proveniente de um único ano, o Late Bottled Vintage passa mais tempo envelhecendo em barris de madeiras para que o processo de oxidação seja lento.

Esse tipo de Vinho do Porto é engarrafado após 4 ou 5 anos de sua produção, tendo aspecto suave e encorpado.

Como servir o Vinho do Porto?

O sommellier Diego Arrebola recomenda que o Vinho do Porto seja servido em taças Bordeaux de um tamanho razoável. No entanto, ele diz que o tipo de taça depende muito do estilo do vinho.

Como há uma variedade muito grande de estilos, o Porto pode ser ótimo com uma variedade igualmente abrangente de comidas, incluso, mas não exclusivamente, sobremesas, além de charutos, ou apenas como vinho de meditação“, diz Diego.

Para escolher um bom Vinho do Porto, o sommellier dá a dica: “equilíbrio, complexidade, persistência e tipicidade. Nenhum componente ou característica do vinho se sobressai em relação às demais, temos uma ampla gama de aromas e sabores, que permanecem longamente no palato após a degustação, e não temos características gusto-olfativas que destoem sobremaneira do Porto típico“.

Agora que você já desvendou todos os segredos do Vinho do Porto, que tal começar a fazê-lo mais presente no cardápio do seu restaurante?