Gestão

Venda mais usando suas redes sociais em quatro passos

Venda mais usando suas redes sociais em quatro passos

Facebook, Instagram, Twitter, Snapchat e companhia há muito deixaram de ser usados como entretenimento. Hoje, são ferramentas de negócios para empresas, especialmente para divulgação de produtos e ações. A Internet mudou nos últimos anos, alterando inclusive a maneira como se conversa com o consumidor, permitindo que ele decida quando, como e se quer receber determinada informação.

Aproximadamente 60% dos brasileiros têm acesso à internet, e desse montante “98% usam rede sociais de alguma maneira”, segundo o sócio e diretor de operações da Pólvora! Comunicação e consultor de Marketing especializado em Conteúdo, Eventos e Redes Sociais, Edney Souza.

De acordo com a pesquisa “Hábitos de consumo de mídia pela população brasileira”, de 2015, da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, 76% das pessoas em território nacional acessam a internet todos os dias, com uma exposição diária de quase cinco horas, durante a semana, e de quatro horas e 24 minutos nos finais de semana. As redes sociais mais acessadas naquele ano foram: Facebook, Whatsapp, Youtube, Instagram, Google+, Twitter, Skype e Linkedin.

Todas essas redes sociais já monetizam com alguma forma de venda das empresas, explica Souza. Esse novo cenário, portanto, obriga as empresas a repensarem seus planos de comunicação, além de entenderem a Internet como um “ecossistema em constante mudança”. Exemplo disso, é a pesquisa da consultoria GlobalWebIndex que mostra o Facebook como rede social mais usada no mundo, e uma disputa entre Snapchat e Instagram pelo segundo lugar. Esse último anunciou em junho, ter alcançado 500 milhões de usuários.

Como então vender nesse universo? Souza apresenta quatro soluções baseadas em sua palestra “Usando mídias sociais para vender” apresentada durante a Expovinis 2016:

  1. É possível gerar tráfego com anúncio pago nessas mídias sociais. As informações aparecem nas timelines dos usuários.
  2. Um “veículo” que tem ganhado força nos últimos anos são os “influenciadores”; blogueiros, youtubers, twitters, instagramers Alguns produtores e comercializadores de vinhos já usam essa estratégia, apresentando diferentes tipos de uvas, opções de enoturismo, harmonização e lançamentos, usando a técnica “te dou o vinho e você fala da minha loja ou produto”, comenta Souza.
  3. Conheça a jornada de seu público alvo. Essa é uma forma de produzir conteúdo orgânico para seu consumidor. Onde ele vive? O que faz? Qual tipo de consumo dele? Onde ele compra? São perguntas essenciais para definir um plano de comunicação em redes sociais. A jornada geralmente se divide em quatro etapas:
  • Qual vinho o consumidor quer?
  • Quais os prós e contras daquela opção? Harmonização, preço, disponibilidade
  • Decisão. O cliente vai comprar de quem tiver a melhor oferta e opção.
  • Fase final da jornada, muitas vezes esquecida, envolve atender bem, dar feedback e continuar a conversa com o consumidor.

4-Uma vez respondidas as perguntas, é possível criar seu próprio canal. Lembre-se de unir o que a marca busca com o objeto de desejo do cliente. Um problema comum das marcas é o baixo engajamento orgânico: como falar apenas das vantagens do produto sem indicar onde comprá-lo. “Clientes querem informação completa”, alerta Souza. Pode-se organizar quatro peças acompanhando as quatro fases da jornada do consumo ou uma peça única abordando todos os temas, falando da harmonização, teor alcoólico, preço sugerido etc.

7