Carreira

Sommelier explica a influência da taça de vinho para o consumo da bebida

Você sabe qual a influência da taça de vinho para o consumo da bebida?

Mais do que uma peça refinada para enriquecer a experiência visual para apreciar os seus rótulos favoritos, a taça de vinho concentra múltiplas utilidades para potencializar a complexidade da bebida em suas degustações.

E, para apresentar a você quais são os aspectos que a taça de vinho mais influencia, vamos analisar, neste artigo, os diferentes tipos de taças, suas características e, claro, como você pode fazer de suas próximas degustações um espetáculo sensorial completo. Confira!

Qual é o impacto do material em uma taça de vinho?

Quando falamos em taça de vinho, é relevante observar que o material tem grande influência, mas não apenas na degustação, mas no preço do produto também.

Afinal, em uma comparação bruta entre o vidro e o cristal — dois dos mais populares materiais para a produção da taça de vinho —, sabemos que o primeiro é mais acessível. Dessa maneira, ao buscarmos diferenciação na maneira de experimentar essa milenar bebida, convém optar pela segunda opção.

E quem explica toda a ciência por trás disso é o sommelier do Grupo OBA HortiFruti Cássio Henrique Almeida de Oliveira:

“Uma taça de vidro é feita, basicamente, de areia, sódio, cálcio e alumínio, não sendo possível produzir taças de vidro finas como as de cristal, composta por areia e metais, como o chumbo ou o titânio”, explica o profissional, que complementa: “quanto maior a presença desses metais, mais refinado e delicado é o cristal”.

Isso também significa que, no que diz respeito às taças de cristal, é importante avaliar o tipo de metal presente em sua composição. Oliveira destaca que “o titânio é um dos componentes em destaque e o zircônio também, que são muito utilizados pelos fabricantes para a produção de soluções mais resistentes”. Para o manuseio, isso se configura em uma taça de vinho fina, requintada e mais resistente.

Qual é o melhor tipo de taça para cada tipo de vinho?

Muito além do material, existe também, o cuidado de fabricantes em compor um design específico em suas taças para que a bebida seja desfrutada da melhor maneira possível. E o sommelier do Grupo OBA HortiFruti nos dá uma verdadeira aula a respeito da diversidade de taças que nos deparamos no mercado, atualmente, e as suas principais aplicações:

Taça Bordeaux

“São mais indicadas para o consumo de vinhos encorpados e ricos em tanino, como as uvas Tannat, Bonarda e Cabernet Sauvignon, entre outras. A taça possui o bojo grande, mas tem a borda fechada para evitar a dispersão de aromas”, explica Oliveira.

Taça Borgonha

O sommelier indica esse tipo de taça de vinho quando os rótulos são “(…) mais complexos e concentrados em aromas, produzidos principalmente com a uva Pinot Noir”, destaca. Sobre o formato da taça, Oliveira aponta que elas possuem “formato balão, com um bojo maior do que as taças Bordeaux, para que haja mais contato com o ar, permitindo que os aromas sejam liberados rapidamente”.

Oliveira também indica que “o formato dessa taça direciona a bebida para acima da ponta e do centro da língua, diminuindo a acidez e acentuando as qualidades mais arredondadas e maduras do vinho”, deixando uma rica indicação para degustar vinhos com a taça Borgonha, como “vinhos de mais expressão aromática, como Barbera, Dolcetto, Gamay etc.”.

Taça para vinho branco ou rose

A taça para esse tipo de bebida conta com um corpo mais enxuto. E isso se explica, de acordo com Oliveira, pelo fato de que “o vinho branco ou rosé precisa ser consumido em temperaturas mais baixas e, em um recipiente menor existe menos troca de calor com o ambiente. Além de realçar as notas de frutas da bebida”.

Taça Flute

Indicada para o consumo de Champagne ou espumantes, a taça é mais fina, tendo um formato similar ao de uma flauta. Oliveira revela que isso é pensado para “(…) que possam ser apreciadas as borbulhas, ou perlage, sendo uma taça fina que também direciona a efervescência e os aromas para o nariz, enquanto controla o fluxo acima da língua, mantendo o equilíbrio entre a limpeza da acidez e a saborosa profundidade”.

Taça de vinho doce e fortificado

Por fim, temos uma taça de vinho específica para a bebida mais adocicada. O sommelier explica que elas “possuem bojo pequeno, justamente porque as pessoas consomem vinhos doces e fortificados em quantidades menores. Também são mais estreitas na parte superior, e o seu design ajuda a conduzir o fluxo da bebida diretamente para a ponta da língua, região onde os sabores doce são mais percebidos”.

E então, deu para apreciar devidamente a importância da taça de vinho para conferir uma experiência sensorial ainda mais enriquecedora?

Agora, para fazer bom uso desse conhecimento, convidamos você a baixar, gratuitamente, o nosso material sobre harmonizações diferenciadas com vinhos!